O segredo de uma boa relação íntima


As relações íntimas são das coisas mais bonitas, mas também mais desafiantes que temos na vida. Através do outro não só nos conseguimos conhecer melhor, como visualizar permanentemente o que temos ainda para trabalhar.


Do que posso observar, tanto em consultório como na minha vida pessoal, vejo que as pessoas, mais depressa vivem relações de acomodação, do que relações de crescimento. Quando não queremos crescer, e não queremos fazer crescer a relação, a relação torna-se na personificação de todas as nossas armadilhas. Uma relação de dependências, preguiçosa, envolvida em protecções e trancas. "Ficas aqui e eu também fico aqui. Apesar de aqui não estar assim tão bom, é o que o meu conforto me permite neste momento".

E assim, por tudo o que me é dado a observar e a viver, partilho aqui algumas dicas que sinto nos podem ajudar a dar mais um passo, elevando a nossa relação (e a nós) ao patamar que merecemos.

# Como em qualquer relação, o principal ingrediente é a verdade

A verdade com que estamos em nós, a verdade com que estamos na relação, o espaço que cada um tem para estar na sua verdade.

# Uma boa relação íntima começa na relação que temos conosco próprios.

Ninguém consegue dar a partir do que não tem. E portanto entrar numa relação como uma falha na intimidade ou no amor próprio, vai-nos colocar na primeira fila para irmos buscar isso ao outro. Transformamo-nos em vampiros energéticos de amor e bem estar.

E assim, o conselho é mesmo que se amem, que se admirem e que se respeitem a cada um de vós. Que façam programas convosco próprios. Que se atentem e que se namorem. [É esta a mulher ou ou homem que vão sempre querer ter perto].

Quanto mais felizes estiverem, mais felicidade trarão para a relação.

Podes ensaiar a tua felicidade com o Joy Planner.

# A tua relação é um reflexo de ti

Se não quiseres crescer, a tua relação não vai crescer. Se estiveres preguiçosa na vida, a tua relação vai falar de preguiça. E assim, o que estiveres a ver no relacionamento, é o tema da pergunta que deves colocar a ti própria. Se a relação está preguiçosa...em que áreas da tua vida estarás tu preguiçosa; Se está estagnada... em que dimensões não estarás tu a querer crescer, etc...

# O outro é um reflexo de nós

O outro é apenas um reflexo nosso, dando voz ao que, na maioria das vezes, não conseguimos expressar. Se achamos que o outro não nos dá atenção; é porque somos nós que, em primeira mão, não nos estamos a dar atenção. Se não nos sentimos amadas, é porque, não nos estamos a amar.

E assim visto, fica tão fácil entender tanta coisa.

Adicionalmente, quando vemos temas no outro que sistematicamente nos irritam a nós, é porque existe dentro de nós uma urgência para a resolução desses temas. E invariavelmente, são temas que necessitam de equilíbrio, onde pólos opostos choram por um acordo de evolução.

# A magia do pensamento maior

Esta é uma verdadeira benção que as relações têm ao seu dispor. Quando existem visões divergentes, na sua maioria opostas, a solução não está nas cedências. Ela está exactamente em fazer evoluir o ponto de equilíbrio. Entre um extremo e o outro, está a magia do pensamento superior - uma visão que ambos criam a partir do seu pensamento criativo. Porque lembro, ambos querem resolver o problema.

E estas são algumas dicas que te posso garantir, fazem toda a diferença numa relação íntima de qualidade.

Com amor e em amor,

Rita

EUS School of Being

Se quiseres aprofundar sobre este tema, inscreve-te num dos nossos workshops sobre Relação Íntima.



10 visualizações

Para estares sempre actualizado...

  • Instagram
  • Facebook
  • Black LinkedIn Icon