O que é realmente importante num processo de transformação


[sob pena de não saíres eternamente do mesmo sítio]

Estas pequenas notas que aqui hoje partilhamos, foram-nos ensinadas, ou melhor vividas e experienciadas, através das nossas de sessões individuais, de Sound Healing e Homeopatia.

Muitas vezes, por trás das objeções, crenças negativas e outros bloqueios dos nossos clientes, está algo muito maior e mais profundo. Está uma vontade, ainda que muitas vezes tímida, de evolução. É isto que nos é trazido cada vez que iniciamos uma sessão. É esta a fonte a que temos de aceder quando queremos ajudar numa verdadeira transformação.


Há muito mais do que aquilo que nos é trazido pelo cliente

Adoramos trabalhar com a energia, com o subconsciente, e com a informação não racional que nos é transmitida, por vias normalmente não verbais. Esta é a fonte de informação pura, mais autêntica, menos manipulada ou interpretada.

Simples detalhes de uma sessão…como a pontualidade, a forma como a pessoa entra na sala; como expõe aquilo que traz para cada sessão, como se apresenta, como fala, como está a sua energia no momento…e tantos outros, dão-nos uma série de informações tão mais vasta quanto aquela que o cliente traz na agenda do seu encontro. Muitas vezes em vez de apontar um caminho, está mais valor contido nos primeiros 5 minutos do que, às vezes, no resto da sessão.

Por aqui tiramos uma série de traços de personalidade que nos vão ser muito úteis na perceção da pessoa e da sua dinâmica. Esta é informação pura que nos advém de um plano muito mais autêntico que o mental.

Um cliente é muito mais do que um conjunto de objetivos, de ambições, de desejos de trajetos de vida. Ele é uma reunião divina de luzes e sombras, forças e fraquezas, conteúdos e silêncios. Ele é uma força vital em manifestação. E crucial num processo de transformação é trazer esta força vital, de novo para o seu equilíbrio. Para quê? Para que a pessoa possa realmente manifestar em pleno aquilo para o qual está designado. Para que expresse aquilo que é realmente valioso para si. Só aquilo que é verdadeiramente importante promove a mudança e transforma.

Trazer para o equilíbrio não é apenas focar nos pontos fortes e potenciá-los; isso só não chega! Não é eliminar as dificuldades e apresentar soluções; isso só não chega! É preciso entender a dinâmica que nos move e que nos pára; os detalhes da nossa história; a poesia das nossas adversidades.

É preciso aumentar a consciência da pessoa sobre si própria

Trazer para o equilíbrio natural é primeiramente ajudar a pessoa a aumentar a sua consciência do seu todo. Da sua forma de ser, do padrão energético que a rege, e que está ao seu dispor para ser usado nos seus planos de vida. Entender o padrão energético de uma pessoa é perceber o que a faz mover e o que a faz parar; a essência da sua busca; as dores e os prazeres que a movem. Só assim, e com todos os elementos, podemos ajudar a pessoa a integrar; a continuar o seu caminho, não deixando partes para trás, não descurando aspetos de si que lhe são altamente úteis num processo de transformação.

A arte deste processo é ajudar a pessoa a tomar o máximo de consciência sobre si; a convidar para uma mesma festa todas as suas facetas; a enquadrar todas as suas sombras oferecendo-lhes uma nova perspetiva de luz. Só assim a pessoa se sente inteira para abraçar o seu caminho; só assim faz uso de tudo o que lhe foi, com divino e magno propósito, oferecido.

Promover o processo de auto-aceitação

Para a transformação ser inteira, é preciso ajudar a pessoa a tomar consciência da utilidade de todas as suas facetas como potêncial…e de todas as adversidades. Na vida, como nas pessoas, não existe o bom ou o mau, existe o que existe. E tudo tem utilidade; de outra forma teria dificuldade em enquadrar a existência.

Um processo de transformação, neste contexto, é um processo de co-criação de ambas as partes (coach-coachee, terapeuta-paciente…), no qual todos estes elementos fazem parte e o cliente é convidado a fazer a alquimia dos mesmos. É por aqui que se promove a integração e a continuidade. Esta é a chave da autonomia do cliente.

E nunca esquecer…

Entender o que é que realmente tem de ser transformado…

O que tem de ser transformado (curado) é aquilo que o bloqueio está impedir a pessoa de fazer…

É essa a chamada de atenção da vida para com nós próprios. As pessoas às vezes querem apenas ver-se livres do impedimento, quando o que está realmente a ser oferecido no momento é uma oportunidade de trabalhar a um outro nível, como um todo. Às vezes estamos apenas a querer silenciar algo, quando por trás disso o que nos está a ser dado é uma oportunidade de ultrapassar limites, de desenvolver algo mais profundo e chegar a um novo patamar. O que é fica em causa com este impedimento que sentimos? O que é que deixa de ser feito? É uma disponibilidade permanente para os outros? É uma necessidade de trabalhar horas a fio? É aí que temos de chegar, para alcançar muito mais.

Contribuir para a transformação de alguém é gratificante, mas mais importante é ter sempre presente que a pessoa é muito mais do que aquilo que a traz ali.

Um óptimo dia,

Rita e Rodrigo

Caso trabalhes na área de Desenvolvimento Pessoal, Coaching, ou qualquer outra área em que o foco é fazer crescer o outro, com base no seu potencial, e se tens interesse em enriquecer a tua prática, coloca aqui o teu email que iremos brevemente enviar-te uma ferramenta que te vai permitir perceber se a tua abordagem está efectivamente a ser transformadora!

#selfdevelopment #humanpotential #coaching #transformation #sessions

10 visualizações

Para estares sempre actualizado...

  • Instagram
  • Facebook
  • Black LinkedIn Icon